segunda-feira, 21 de setembro de 2015

NOMOFOBIA OS PECADOS CAPITAIS MODERNOS

CONFIRAM OS 07 PECADOS CAPITAIS MODERNOS: 

1 - A Gula:
 
A Gula é o desejo insaciável, além do necessário, Segundo tal visão, esse pecado também está relacionado ao egoísmo humano: querer ter sempre mais e mais, não se contentando com o que já tem em uma forma de cobiça. Do latim de mesmo nome, é o desejo insaciável. Segundo tal visão, esse pecado está relacionado ao egoísmo pessoal de querer adquirir sempre mais e mais, não se contentando com o que já tem em sua vida.

2 - A Avareza:

A Avareza É o apego excessivo e descontrolado pelos bens materiais e pelo dinheiro, priorizando eles e deixando Deus em segundo plano. É considerado o pecado mais tolo por se firmar em possibilidades. A avareza é considerada um dos sete pecados capitais, pois o avarento prefere os bens materiais ao convívio com Deus. Neste sentido, o pecado da avareza conduz à idolatria, que significa tratar algo, que não é Deus, como se fosse deus. Do latim avaritia, a avareza é o apego excessivo e descontrolado pelos bens materiais e pelo dinheiro. A avareza, no cristianismo, é sinônimo de ganância, é a vontade exagerada de possuir qualquer coisa. Mais caracteristicamente é um desejo descontrolado, uma cobiça de bens materiais e dinheiro, ganância. Existe também avareza por informação ou por indivíduos.


3 - A Luxúria:
A Luxúria é o desejo passional e egoísta por todo o prazer sensual e material. Também pode ser entendido em seu sentido original: “deixar-se dominar pelas paixões”. Consiste no apego aos prazeres carnais, corrupção de costumes; sexualidade extrema, lascívia e sensualidade. A luxúria, às vezes, é definida como o desejo perante o prazer sexual mal administrado embora incorpore outros tipos de desejo como o da comida, bebida e superioridade em relação aos demais. Por este entender, a luxúria também bastante relacionada com a gula, a soberba e a avareza pois, através de ambas, o pecador deseja adquirir o prazer.


4 - A Ira: 

A Ira é o intenso e descontrolado sentimento de raiva, ódio, rancor que pode ou não gerar sentimento de vingança. É um sentimento mental que conflita o agente causador da ira e o irado. A ira torna a pessoa furiosa e descontrolada com o desejo de destruir aquilo que provocou sua ira, que é algo que provoca a pessoa. A ira não atenta apenas contra os outros, mas pode voltar-se contra aquele que deixa o ódio plantar sementes em seu coração. Seguindo esta linha de raciocínio, o castigo e a execução do causador pertencem a Deus. Conhecido também por cólera. É o sentimento humano de externar raiva e ódio por alguma coisa ou alguém. É o forte desejo de causar mal a outro, e um dos grandes responsáveis pela maior parte dos conflitos humanos no transcorrer das gerações.


5 - A Inveja:
A Inveja é um destruidor pecado porque uma pessoa invejosa ignora suas próprias bênçãos e prioriza o status de outra pessoa no lugar do próprio crescimento espiritual. São o desejo exagerado por posses, status, habilidades e tudo que outra pessoa tem e consegue. O invejoso ignora tudo o que é e possui para cobiçar o que é do próximo. A inveja é freqüentemente confundida com o pecado capital da Avareza, um desejo por riqueza material, a qual pode ou não pertencer a outros. A inveja na forma de ciúme é proibida nos Dez Mandamentos da Bíblia. Do latim invídia, que quer dizer olhar com malícia. Ela é Um maldoso desejo exagerado por tudo que outra pessoa tem e consegue.


6 - A Preguiça:
A Igreja Católica apresenta a Preguiça como um dos sete pecados capitais, caracterizado pela pessoa que vive em estado de falta de capricho, de esmero, de empenho, em negligência, desleixo, morosidade, lentidão e moleza, de causa orgânica ou psíquica, que a leva à inatividade acentuada. Aversão ao trabalho, freqüentemente associada ao ócio, vadiagem. Do latim acedia. A pessoa com este pecado é levada à inatividade acentuada socialmente.


7 - A Orgulho ou Vaidade:

Conhecida como soberba, é associada a orgulho excessivo, arrogância e vaidade. Em paralelo, segundo o filósofo Santo Tomás de Aquino, a soberba era um pecado tão grandioso que era fora de série, devendo ser tratado em separado do resto e merecendo uma atenção especial. Aquino tratava em separado a questão da vaidade, como sendo também um pecado, mas a Igreja Católica decidiu unir a vaidade à soberba, acreditando que neles havia um mesmo componente de vanglória, devendo ser então estudados e tratados conjuntamente. A soberba é conhecida também como vaidade ou orgulho. Está associado ao orgulho excessivo, arrogância e vaidade social.
Postar um comentário

Postagens populares

Postagens populares