domingo, 7 de dezembro de 2014

A MULHER DA ILHA DO MEIO ELISABETH QUEMINET BERGER

 
Fala galera...Um caso intrigante e inexplicável ocorrido no Brasil chama-se: A mulher da ilha do meio, ele se baseia em fatos reais sobre uma estranha estrangeira chamada Elisabeth Queminet Berger ou Quimine Berger,que se tornaria uma forte lenda pela região. Pois em meados dos anos 70, Na região de Urumajó na Ilha do Meio, no Pará. Uma linda mulher decidiu comprar terras na ilha do meio, embora ela tenha comprado quase do à ilha, ainda existiam algum moradores no local, que rapidamente ela tratou de fechar negocio, com o intuito de que apenas ela moraria na ilha. Quando todos se mudaram, ela finalmente foi morar sozinha na ilha ignorando completamente os perigos da selva, recebia poucas visitas, mas as poucas que recebia os populares da região nunca viram voltar, eles chegavam à ilha, mas ninguém nunca viu eles voltarem de barco. Elisabeth Queminet Berger ou Quimine Berger vagava pela ilha nua, comprava varias quantidades de peixes todos os dias, e diferente do que todos imaginavam sua casa não era luxuosa ou confortável, era apenas uma cabana velha sem moveis. Então porque uma mulher rica e bela se isolaria do mundo em um local tão precário? . Os segredos dessa estrangeira permanecem um enigma ate os dias de hoje. E como naquela época outro caso maior estava em evidencia, não teve tanta repercussão, pois ocorria também a inexplicável operação prato...
 
A misteriosa operação Prato, feita na década de 1970, no Pará, sob o comando do rígido Uyrangê Holanda de Lima, na época coronel das Forças Armadas. Fez que durante 40 dias, o Exército brasileiro ficasse acampado investigando os misteriosos fenômenos de avistamentos de naves que disparavam uma luz que penetrava no corpo das pessoas como se fossem agulhas, fazendo pequenos orifícios no corpo, as pessoas atingidas ficavam debilitadas, sem força, deprimidas e anêmicas. A operação foi estranhamente interrompida, mas os avistamentos não pararam. Pouco tempo depois, o experienciador Vitorio Peret, do Rio de Janeiro, passou a investigar o fenômeno durante oito anos. E é ele que relatou a história dessa intrigante mulher na ilha do meio, ele diz que Quando os militares ainda estavam na região, uma estranha mulher, chamada Elisabeth Queminet Berger ou Quimine Berger, nascida na Suíça, com passaporte inglês e residente em Paris, foi visitar a região e se encantou pela mata natural. Ela ficou muito amiga de um barqueiro chamado local chamado João Olaya e, através dele, comprou a ilha do Meio. Já era bem estranho, uma mulher morar sozinha no meio do mato, isolada em uma ilha, alem disso Ela andava nua pela praia e comprava diariamente entre 200 kg e 400 kg de peixe. Ela não os vendia, e morava sozinha, o que ela fazia com tanto peixe em casa morando sozinha?, As pessoas da região começaram a ficar intrigadas com isso. Fizeram denúncias infundadas. Certa vez ela foi presa por suspeita de contrabando de armas. Mas logo foi liberada. Porque Nada contra ela foi provado.
Os boatos misteriosos dela aumentaram, e Foi quando o comandante Uyrangê Holanda de Lima ficou sabendo da estranha moradora, e suspeitou que ela estivesse alimentando guerrilheiros, pois disseram que ela recebia regularmente cerca de dez homens. E o pior é que Somente quando ela estava na ilha, luzes e objetos estranhos e cilíndricos, parecendo sondas, apareciam e faziam evoluções à noite sobre a ilha. Uyrangê Holanda Juntou sua equipe de militares, e ao chegarem na ilha do meio, O coronel fez uma busca em sua casa e ficou muito surpreso. Além de não encontrar nada, a casa não tinha janelas, nem portas, nem pratos, ou móveis. Apenas uma cama e duas cadeiras”. Todos se perguntavam, o que essa mulher fazia todo esse tempo na ilha, ale de comprar peixes, e andar nua pela praia?. Pouco tempo depois, Elisabeth Queminet Berger ou Quimine Berger foi presa pela terceira vez. Quatro policiais a escoltaram. Chegando à cidade, ela pediu para ir ao banheiro que tinha apenas uma porta. Eles ficaram do lado de fora, guardando o local, mas inexplicavelmente, quando eles a chamaram para fora do banheiro, ela havia fugido. E essa foi a ultima vez que ela foi vista. Ninguém jamais soube o que ela ou seus convidados faziam na ilha do meio. Em 1985 ou 1986, quando houve um terremoto em Los Angeles, Elizabeth foi vista vestida de enfermeira, ajudando os feridos. A Interpol foi atrás, mas não conseguiu localizá-la. Tempos depois ela foi vista na Coreia do Sul. Não havia motivos para a polícia persegui-la, sendo assim, até hoje sua existência é uma incógnita para as autoridades.
 
Enfim galera...Com o passar do tempo,milhares de teorias foram feitas a seu respeito, entre elas, que ela fosse uma espiã, uma bruxa, um extraterrestre, uma viajante no tempo, uma vampira,ou apenas uma rica excêntrica e doida, o fato é que ate hoje ninguém sabe por que aquela bela estrangeira ficava fazendo sozinha nas noites na ilha do meio. Sobrenatural ou não a excêntrica Elisabeth deixou a Operação Prato Ainda mais assustadora,vlw galera ate:
  
Postar um comentário

Postagens populares

Postagens populares